ME ANUNCIANDO


Cheguei em São Paulo para uns dias!
É São Paulo, cheguei. Trouxe um pouco de farinha e podemos tomar um xibé.
Eu venho como neto de meu avô Macunaíma, mas foi Makunaimî quem me mandou. Me mandou vir saudar os amigos e revisitar lugares antes fervidos de uma cultura, em parte, sua. Foi Macunaíma quem também fez essa São Paulo e ele a fez para todos nós!
Foste o devaneio de muita gente meu avô! Ainda hoje faz a gente se deslocar o tempo todo em busca do outro mistério.
Tô por aqui esses dias. Deixei Roraima com chuva e dá água que bebeu o rio já tiramos peixes. Eu estou por aqui esses dias para ver minhas obras em exposição. Amanhã abre aqui no CCBB de São Paulo a exposição VAIVÉM de Raphael Fonseca com diversos artistas incluindo indígenas artistas como Carmézia Emiliano de Roraima. Denilson Baniwa, Arissana Pataxó, MAHKU, Gustavo caboco e eu estamos entre tantos.
Em São Sebastião no litoral paulista tá acontecendo a minha exposição O Xamã devolve a vida e Resistência de Arissana Pataxó. O local é na Casa Brasileira, no centro da cidade, uma parceria com Elda ECA. Eu vou na cidade para uma mesa redonda no dia 24/05. Em seguida eu devo ir para Niterói-RJ onde acontece a mostra Reantropofagia com curadoria partilhada de Denilson Baniwa na UFF.
Deve acontecer uma fala no dia 26 durante o encerramento. Em seguida eu volto para São Paulo e sigo agenda que envolve reunir o pessoal do Passo a passo Makunaima. Eu volto para Boa Vista-RR no dia 4 de junho. Lá em Roraima o artista especialista Amazoner Arawak articula promover encontros com pessoas em busca de uma formação mínima diferenciada sobre arte, cultura, natureza e sociedade, na Amazônia Caribenha. Os encontros permeados de arte devem acontecer aos sábados em nossa galeria.
Então estou entre São Paulo e Rio de Janeiro nos próximos dias. Eu trouxe minhas obras e tenho tempo para mostrar o trabalho aos amigos e aceitamos indicação de nosso trabalho a colecionadores.
Gratidão universal aos ancestrais pela guarda constante de nossas costas e aos presentes pelo bem comum de nossos horizontes.